(011) 2227-9040


(011) 94326-0089

O que é hiperplasia prostática?


Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é uma doença causada pelo aumento do tamanho da próstata. Este aumento está relacionado diretamente com a idade, o que significa que quanto mais velho for o homem, maior a possibilidade de sofrer Hiperplasia Prostática Benigna (HPB).

À medida que a próstata aumenta de tamanho, a Hiperplasia Prostática Benigna se torna crônica e leva problemas que podem evoluir para quadros mais graves se não for tratada corretamente.

A Hiperplasia Prostática Benigna é mais comum em homens com mais de 45 anos, idade na qual a próstata aumenta de tamanho. Saiba mais sobre nossa especialidade de tratamento para hiperplasia prostática benigna em SP.

O que é a próstata e onde se localiza

A próstata é uma glândula do tamanho de uma amêndoa, localizada na base da bexiga e envolve toda a uretra na sua porção inicial. Com o passar dos anos, pela ação de diversos fatores, dentre eles o mais importante são os hormônios masculinos, ocorre o crescimento da próstata em até 80% dos homens. O crescimento pode ser para dentro da luz da uretra (centrípeto) ou para fora (centrífugo). Como a urina deve passar no meio da próstata e a próstata cresce com a idade, está criado um problema. A função dessa glândula é produzir parte do volume do esperma.

Os sintomas mais comuns quando ocorre o aumento da próstata são

- Levantar muitas vezes a noite para urinar (nictúria);

- Urinar com muita frequência (polaciúria);

- Sensação de mau esvaziamento vesical;

- Jato urinário fraco;

- Interrupção do jato urinário;

- Gotejamento no final da micção;

- Diminuição do volume urinário;

- Sangue na urina (hematúria).

Os sintomas tendem a evoluir com períodos de melhora e piora, sendo a tendência piorar predominante. O paciente que permanece muitos anos com essa dificuldade sem tratamento, pode apresentar algumas das complicações da hiperplasia prostática benigna (HPB) que são:

Deterioração da bexiga

- Formação de pedras no seu interior (cálculos vesicais);

- Sangramento (hematúria);

- Infecções urinárias frequentes e até perda da função renal.

O paciente que está com esses sintomas deve ser submetido a alguns exames para avaliar a necessidade de tratamento. Deve ser feita uma consulta médica com entrevista, na qual o médico urologista procura diferenciar outros fatores que possam gerar sintomas semelhantes.

O exame físico que inclui medida da pressão arterial, exame do abdômen e o toque retal avaliam volume, forma e consistência da próstata. Os exames de laboratório incluem ultra-sonografia das vias urinárias, exame de sedimento urinário, exame de sangue, PSA e ainda avaliação do fluxo e da pressão urinária (urofluxometria/estudo urodinâmico). Com esses exames em mãos, e se forem conclusivos, o urologista poderá oferecer algumas alternativas de tratamento:

- Tratamento com medicamentos, que podem ser hormonais, fitoterápicos e alfa bloqueadores.

- Tratamento cirúrgico: Pode ser através de técnica minimamente invasiva como a cirurgia através do canal uretral (á laser, stent uretral, prostatectomia, eletrovaporização ou a que é considerado padrão ouro, a RTU - ressecção transuretral de próstata). Eventualmente, pode ser necessária cirurgia através de incisão abdominal, e embora pareça muito agressiva, também ocorre um intra e pós-operatório bastante satisfatórios, e um afastamento não muito longo das atividades normais do paciente.

Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e o Câncer de Próstata

A Hiperplasia prostática é uma doença benigna, enquanto o câncer de próstata é maligno. Não há estudos que comprovem que a HPB possa se transformar em câncer no futuro.

 

Voltar

Veja também